Tambor Xamânico

O Tambor Sagrado

Assim como os seres humanos, cada tambor tem sua própria voz e vibração. Cada animal e árvore de que o tambor é feito tem sua própria medicina; seus espíritos são parte do tambor. Para dar voz ao tambor ele precisa ser “despertado” em cerimônia sagrada. Até a cerimônia o tambor não deve ser tocado.

Durante cerimônia o tambor primeiro é dedicado ao Criador Original. O tambor é um objeto sagrado, portanto, quando não estiver sendo usado deve estar envolvido por uma sacola feita de materiais naturais, (ex.: 100% algodão, couro de animal).

Pendurar o tambor numa parede como um pedaço de arte diminui sua voz e propósito. Você não penduraria um ser humano numa parede para ser admirado, e como o tambor é humano, também não deve ser pendurado como adorno.

O tambor sempre deve ser colocado com o lado da pele para cima, quando em descanso como um sinal de respeito.

“Sou a batida do coração da Terra de Mãe e o presente sagrado da Criação. Sou a batida do coração universal dos mundos da luz e da sombra. Ajudo pessoas trazendo-lhes a verdade sobre suas existências. Ponho quem me toca em contato com o Grande Espírito.

Falo com TODAS as pessoas igualmente e pacificamente. Preencho e crio equilíbrio físico, emotivo, mental espiritual. Sou uma poderosa forma não-verbal de comunicação pacífica. Sou a prática da Paz. Sou renovação, renascimento e realização. Sou o pulso do Universo. Sou atento, vivo e estou sempre pronto para levar quem me toca a outro estado de consciência.

Meu topo representa o céu. Meu fundo representa a terra. Minha costura representa os guerreiros pela paz de quem me toca. Sou a sabedoria antiga dos Antepassados.

A mão de quem me toca nunca é elevada em sinal de raiva, e em um tambor grande não deve ser levantado acima do ombro e batido para baixo. A mão de quem me toca não deve ser elevada acima do coração, porque eu já sou a paz.

Libero tensão emocional e fadiga mental. Eu conecto quem me toca com seus ritmos naturais. Relembro todos que o Grande Espírito está vivo e é sagrado.

Quando alguém me toca promove uma sincronia de energia, uma unidade e um propósito comum. Quando alguém ouve o meu som e se alia a esse som, esta ao mesmo tempo ouvindo e cantando, recebendo e doando”.

Mitakuye Oyas’in

Mulher Trovão

Thunderbird Woman – First Nation – Canada

Você Também Pode Gostar

Comentários

Deixe uma resposta

 

Scroll Up