Artigos Mitologia Mitos e Lendas Nativas Roda Medicinal

Halloween, Samhain ou Beltane?

A RODA DO ANO nos hemisférios norte e sul, giram de formas diferentes, mas equilibradas. Enquanto aqui nos aproximamos do verão, lá se aproximam do inverno. Primavera e Outono, respectivamente, nesse momento em cada hemisfério. Os antigos de todas as culturas celebravam todos os movimentos da natureza, movimentos estes que também ocorrem dentro de nós, sendo assim, vamos encontrar representações em vários cantos do mundo, desde a Roda de Cura dos Nativos das Américas, bem como as mais conhecidas celebrações do Halloween, do hemisfério norte, que se popularizou como um dia de brincadeiras e travessuras, ou o chamado Dia das Bruxas.

No hemisfério sul, em países colonizados pelos católicos e cristãos, o reflexo desse dia está na celebração do Dia de Finados, em 2 de novembro. Mas qual o verdadeiro sentido disso?

O Halloween é baseado, principalmente, no antigo rito celta do Samhain, ocorrendo de 31 de outubro para 1 de novembro. Nessa noite, o limiar entre o mundo dos vivos e dos antepassados mortos, seria tão tênue que eles poderiam vir nos visitar, bem como também, este limiar pode ser ultrapassado por outros tipos de espíritos. Um dos símbolos mais populares, hoje em dia, é o Jack O’lantern, ou a tal da abóbora decorada com rostos, que tradicionalmente seriam utilizadas com fogos ou velas no seu interior, como lanternas, para que os nossos antepassados encontrassem o caminho de volta para casa e pudessem nos visitar, saindo da escuridão e encontrando a luz. Obviamente, que esses significados, também encontrados em outras culturas, foi apropriado pela Igreja Cristã, encontrando aí uma forma de aproximar-se dos pagãos que queriam evangelizar.

Como muitas pessoas encontram-se nessas egregoras formadas através dos tempos, tanto em uma fé como na outra, é normal que em nossa sociedade esses significados originais acabem se perdendo, sincretizados de várias formas ou apenas encarados como mais uma celebração. A rigor, no hemisfério sul, se seguirmos a roda da vida e da natureza, estamos no período de Beltane, o período das fogueiras, onde celebra-se a fertilidade, um festival de primavera que marca o inicio do verão. Para constar, o solstício de verão que celebramos em dezembro, seria o meio do verão e não seu início. Beltane celebra a união do masculino e feminino, do deus e da deusa. Um dos seus símbolos é a May Pole (chamado assim por ocorrer em Maio no hemisfério norte), onde dança-se ao redor de um mastro central o ornando de fitas. Guirlandas de flores são colocadas na cabeça, danças ao redor da fogueira, ritos sexuais, alegria e júbilo. Pessoalmente, considero um festival de harmonização e criação entre nossos lados masculino e feminino, o deus e a deusa que habita em cada um de nós, independente de nossa forma física, gênero e orientação sexual, sendo assim, um ritual de fertilização de nós mesmos, de nossas ideias, sonhos, vida, uma comunhão interior que não deixa de manifestar-se em nossa natureza e ao nosso redor.

Portanto, não acanhe-se de comemorar o Halloween, afinal, essa energia dos antepassados e do outro mundo impregna o nosso hemisfério devido à sincretização. Mas nunca esqueça que nós estamos é vibrando de acordo com a roda de nosso hemisfério, manifestando em nós o poder fértil da natureza em seu auge, tanto dentro como fora.

Bom festival a todos!

Menkaiká

 

Você Também Pode Gostar

Comentários

Deixe uma resposta

três × dois =

 

Scroll Up